Premiê britânico é multado por não usar cinto de segurança

Polícia da Inglaterra autuou Rishi Sunak após sua equipe postar nas redes sociais um vídeo no qual ele não usava o equipamento. Primeiro-ministro admitiu o erro e disse que pagará a penalidade.

Um vídeo postado na internet pela equipe do primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, resultou em uma multa ao político. A polícia do Reino Unido autuou o premiê na noite desta sexta-feira (20/01) por andar em um carro sem usar cinto de segurança. A constatação foi feita após o vídeo ser publicado no Instagram e receber críticas de vários usuários.

O porta-voz de Sunak pediu desculpas pelo “erro de julgamento”, mas afirmou que o primeiro-ministro tirou o cinto apenas para gravar o vídeo, feito para promover uma política do governo de investimento econômico em regiões mais desfavorecidas. A publicação foi removida. 

O uso do cinto de segurança, inclusive nos bancos traseiros, é obrigatório em quase todas as circunstâncias no Reino Unido – assim como no Brasil. 

A polícia do condado de Lancashire, no noroeste da Inglaterra, onde o carro estava no momento em que o vídeo foi gravado, inicialmente não mencionou o nome do primeiro-ministro, embora tenha informado sua idade e local de residência.

“Após a circulação de um vídeo nas mídias sociais mostrando um indivíduo sem cinto de segurança enquanto passageiro em um carro em movimento em Lancashire, hoje (sexta-feira, 20 de janeiro) concedemos a um homem de 42 anos de Londres uma oferta condicional de penalidade fixa”, disse a polícia. 

Isso significa que o autuado pode pagar a multa, aceitando implicitamente a culpa pelo ocorrido. Em troca, o valor pago é muito menor do que a penalidade máxima e não há risco de o caso ir a um tribunal. Normalmente, é a penalidade padrão aplicada nessas circunstâncias. 

Vídeo foi removido do InstagramFoto: SUNAK VIA INSTAGRAM via REUTERS

Sunak admite erro

Sunak foi multado em 50 libras (cerca de R$ 322), um décimo da taxa máxima por não usar cinto de segurança se o caso fosse levado ao tribunal.

O gabinete de Sunak disse em um comunicado que o primeiro-ministro “aceita totalmente” que o ocorrido “foi um erro” e afirmou que “é claro” que ele cumprirá a penalidade fixada.

O caso gerou críticas de políticos da oposição. Por outro lado, o incidente foi minimizado por alguns políticos conservadores. O parlamentar Scott Benton, por exemplo, disse ter “certeza” de que o tempo da polícia de Lancashire seria melhor gasto “investigando crimes graves”.

Outras advertências 

Não é a primeira vez que Sunak recebe uma multa. Ele foi uma das cerca de 50 pessoas, incluindo o ex-primeiro-ministro Boris Johnson, advertido em abril de 2022 por participar de uma festa na sede do governo britânico em junho de 2020, em um momento em que o país vivia estritas regras de isolamento devido à pandemia de covid-19. O escândalo ficou conhecido como “partygate” e foi um dos fatos que culminaram na renúncia de Johnson em julho do ano passado.

Ainda antes deste incidente, Sunak tinha sido alvo de críticas por ter viajado à região de Lancashire num jato, um “hábito que custa caro ao meio ambiente e aos contribuintes”, denunciou a número dois da oposição, do Partido Trabalhista, Angela Rayner.

Deutsche Welle, le (Lusa, Reuters, AP, AFP