Mestre do Patrimônio Vivo de Alagoas, Juvêncio dos Santos morre aos 102 anos

Mestre Juvêncio foi um exemplo para o mundo do folclore alagoano Ascom Secult

Artista alagoano foi o fundador do grupo Chegança Cruzador São Paulo

Morreu no domingo (15), aos 102 anos, o mestre Juvêncio dos Santos, reconhecido como Patrimônio Vivo de Alagoas desde agosto de 2012. O artista faleceu por causas naturais.

Juvêncio Joaquim dos Santos era natural de São Miguel dos Campos e radicado em Rio Largo, onde travou os primeiros contatos com os folguedos populares e conheceu os primeiros mestres. Foi Capitão de Mar e Guerra da Chegança do mestre Antônio Feitosa (1940) e fundou a afamada Chegança Cruzador São Paulo (1945), uma homenagem à cidade de São Paulo e ao apóstolo celebrado em janeiro pelos católicos.

Conhecido por sua elegância e educação, mestre Juvêncio poderia ser confundido com alguma autoridade da Marinha. Por seus trajes bonitos e bem elaborados e pelo porte altivo de seus integrantes, o folguedo alagoano sempre recebeu elogios por onde passou.

“A cultura alagoana perde mais um grande mestre. Com muita tristeza, recebemos a notícia do falecimento do mestre Juvêncio, uma figura sempre presente nas atividades realizadas pela Secult e um homem que honrou seu título, sempre difundindo a Chegança e a cultura popular alagoana. Ele deixa um legado importantíssimo e uma grande lacuna dentre os Patrimônios Vivos de Alagoas. Minha solidariedade a todos os amigos e familiares”, declarou a secretária de Cultura, Mellina Freitas.

Daniel Borges / Agência Alagoas. Imagem: Ascom Secult