Erasmo Carlos morre aos 81 anos

Músico foi um dos expoentes da Jovem Guarda e pioneiro do rock brasileiro. Ele vinha tratando uma síndrome edemigênica.

O cantor e compositor Erasmo Carlos, conhecido como Tremendão e um dos expoentes da Jovem Guarda, morreu nesta terça-feira (22/11), aos 81 anos.

Ele havia sido internado às pressas horas antes no hospital Barra D’Or, no Rio de Janeiro, e a causa da morte não foi divulgada.

O músico vinha tratando há alguns meses uma síndrome edemigênica, que ocorre quando há excesso de líquido retido nos tecidos do corpo. Essa doença pode ter diversas causas, como o mau funcionamento do rim, fígado ou coração.

A última publicação de Erasmo em redes sociais foi no dia 18 de novembro, quando celebrou a premiação do seu último disco – O futuro pertence a… Jovem Guarda, lançado em fevereiro – no Grammy Latino como melhor álbum de rock ou se música alternativa em língua portuguesa do ano.

No final de outubro, ele também postou uma foto no hospital, olhando pela janela e com uma trecho da letra de À janela, composta por ele.

Erasmo foi um dos líderes da Jovem Guarda, que fez sucesso nos anos 1960 e 1970 trazendo ao Brasil elementos do rock americano e inglês.

Ele era um grande parceiro do cantor Roberto Carlos, com quem gravou dezenas de músicas, como Quero Que Vá Tudo Pro Inferno, Como É Grande o Meu Amor Por Você e 120… 150… 200Km Por Hora.

Nascido Eramo Esteves, no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro, ele conhecia o músico Tim Maia desde a infância, com quem montou a banda The Sputniks em 1957, que também tinha Roberto Carlos, Wellington Oliveira e Arlênio Lívio.

No total, Erasmo lançou 29 discos de estúdio e cinco álbuns ao vivo.

Deutsche Welle, bl (ots)