Serra da Caiçara: Mais uma Unidade de Conservação é criada no Sertão alagoano

Imagem: WikiParques.

Após anos de esforços e proposta de criação, UC aumenta a porcentagem de áreas protegidas do bioma caatinga

Mais uma conquista é alcançada e representa avanço na preservação do bioma conhecido popularmente por mata branca e para toda Alagoas. É que o Decreto Nº 82.222, de 31 de março de 2022, publicado no Diário Oficial do Estado, estabelece a criação da Área de Preservação Ambiental (APA) Serra da Caiçara. A unidade está localizada entre os municípios de Maravilha, Poço das Trincheiras, Santana do Ipanema, Ouro Branco e Canapi.

A área possui 103.295 hectares e faz parte da mesorregião do Sertão alagoano. O principal objetivo da criação é garantir a conservação do bioma caatinga, que é tipicamente brasileiro e é vasto em biodiversidade. A proposta de criação foi apresentada em 2018, através de esforços e trabalhos de profissionais do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL).

O nome da UC Serra da Caiçara foi escolhido por nomear, também, a maior elevação existente na microrregião de Santana do Ipanema, onde é possível vislumbrar uma das planícies sertanejas do Estado. Alex Nazário, Geógrafo do IMA, fez parte da equipe que produziu a proposta e acompanhou todos os trâmites até chegar na criação da APA.

“É a realização do sonho de toda uma equipe técnica multidisciplinar do IMA; era um interesse de muito tempo, visto que o bioma caatinga, em Alagoas, só tinha 1% como área protegida de Unidade de Conservação. E, agora, com a criação da APA Serra da Caiçara, avançamos com essa porcentagem para cerca de 9%”, explica o geógrafo.

Proteger a Serra da Caiçara é extremamente importante para a conservação da biodiversidade local. Pois, apesar de a população saber da importância dos recursos naturais, existe muita interferência humana que compromete a existência de diversas áreas de refúgio da fauna silvestre, além da incitação aos processos erosivos e ao empobrecimento do solo.

A Unidade de Conservação possui uma imensa biodiversidade como remanescentes de vegetação nativa, áreas serranas vegetadas e fauna, além de sítios arqueológicos e paleontológicos. Agora, com a o Decreto de criação da UC, todas essas riquezas naturais e históricas estão resguardadas com a garantida de ações e políticas para acompanhar, normatizar e disciplinar o uso da Serra da Caiçara.

Com a criação da APA, ficam acertadas as propostas de meios de convivência entre o homem e o meio ambiente de maneira sustentável. A exemplo da implementação de alternativas ecologicamente corretas para o desenvolvimento de atividades que podem gerar impactos ambientais negativos.

“Além de ser uma área que pode receber boas ações de gestão e boas práticas ambientais. E que vamos tratar com máximo cuidado, pois há a possibilidade da instalação de um turismo científico, ecológico. Visto que a área tem muitos sítios arqueológicos, então esperamos que toda a população se beneficie com mais uma criação de uma Unidade de Conservação”, expõe Nazário.

Ainda há muito a ser feito, mas essa é mais uma das conquistas alcançadas pelos esforços e comprometimento de diversos profissionais da área ambiental do IMA, órgãos estaduais e da população alagoana. Pois, através da criação de Unidades de Conservação é que se garante a reprodução das espécies e a preservação desses ambientes.

Dálet Vieira / Ascom IMA / Agência Alagoas. Imagem: WikiParques.