Twitter testará função para denúncias de fake news no Brasil

Twitter testará função para denúncias de fake news no Brasil

Usuários vinham cobrando que rede adotasse postura mais ativa no combate à disseminação de informações falsas. Além do Brasil, Espanha e Filipinas também farão testes com a nova ferramenta.

O Twitter anunciou nesta segunda-feira (17/01) que colocará em prática no Brasil uma ferramenta para denunciar tuítes com fake news. O anúncio ocorre pouco mais de duas semanas depois de uma série de protestos de usuários e também do envio de um ofício do Ministério Público Federal (MPF) cobrando maior combate à desinformação.

Além do Brasil, Espanha e Filipinas também passarão a contar com a ferramenta, segundo divulgação feita pelo próprio Twitter. Desde agosto do ano passado, a novidade é testada em apenas três outros países: Austrália, Coreia do Sul e Estados Unidos.

A iniciativa busca combater e denunciar tuítes com conteúdos enganosos ou inverídicos. Nesse sentido, a pressão dos usuários e do MPF ocorreu principalmente devido às eleições que ocorrerão este ano no Brasil. Mas outros temas, como a pandemia de covid-19 e a manipulação de imagens, também estão no foco da proposta.

“Até agora, esse mecanismo provou que é útil, mas também tem suas complexidades. Dos tuítes denunciados e analisados ​​por nossas equipes, apenas 10% violavam nossas políticas. Isso indica que ainda são necessárias melhorias no processo”, escreveu o perfil oficial da rede no Brasil.

Segundo o Twitter, a nova ferramenta irá complementar os quesitos já existentes de segurança, uma vez que boa parte do conteúdo falso é disseminado por robôs. Para fazer uma denúncia, é necessário indicar que o tuíte é um spam (mensagens não solicitadas, normalmente enviadas por robôs) ou expõe ódio, o que inclui ameaças físicas a uma determinada pessoa ou grupo, por exemplo.

Em 5 de janeiro, usuários do Twitter cobraram a rede social para inserir a ferramenta de combate às fake news no Brasil. Com isso, a hashtag #TwitterApoiaFakeNews esteve entre os assuntos mais comentados. Um dia depois, o MPF enviou um ofício questionando por que a empresa não havia colocado o mecanismo em prática no país.

Em seu blog, a rede social também argumentou que “desde o lançamento desse teste, recebemos 3,73 milhões de denúncias referentes a 1,95 milhão de diferentes tuítes publicados por 64 mil contas distintas”, o que dá uma ideia da dimensão de manifestações contra fake news ou mesmo contra usuários em geral.

gb/ots, Deutsche Welle.