Turismo internacional caiu 97% em abril no mundo todo, segundo a OMT

Turistas com malas caminham pelo centro de Málaga nesta segunda-feira.JORGE ZAPATA / EFE

Organização setorial global estima uma perda de faturamento superior a um trilhão de reais entre janeiro e abril

As restrições às viagens ditadas para conter a expansão do coronavírus provocaram uma queda de 97% no movimento de turistas internacionais em abril, depois de uma diminuição de 55% em março, segundo dados da Organização Mundial do Turismo (OMT). Nos primeiros quatro meses do ano, os desembarques de turistas procedentes de outros países diminuíram 44%, o que se traduziu em uma perda de faturamento de aproximadamente 195 bilhões de dólares (1,03 trilhão de reais) para o setor.

Perante este panorama, a OMT reiterou aos Governos e organizações internacionais seu pedido para que apoiem o turismo, “coluna vertebral das economias”, dando prioridade a um “reinício responsável”. Algumas Administrações já tomaram medidas para reiniciar a atividade, como a suspensão gradual de restrições, a criação de corredores de viagem seguros, o reatamento de alguns voos internacionais e a melhora dos protocolos de segurança e higiene.

O secretário-geral da OMT, Zurab Pololikashvili, afirmou nesta segunda-feira que a queda “repentina e maciça” dos viajantes ameaça empregos e economias, por isso “é vital que o reinício do turismo seja uma prioridade e seja administrado de maneira responsável, protegendo os mais vulneráveis e tendo a saúde e a segurança como a principal preocupação do setor”.

Em nível regional, a região da Ásia-Pacífico foi a mais afetada pela pandemia, especialmente entre janeiro e abril, com uma diminuição de 51% nos desembarques. No mesmo período, a Europa registrou a segunda maior queda (-44%), seguida do Oriente Médio (-40%), Américas (-36%) e África (-35%).

No começo de maio, a OMT estabeleceu três possíveis cenários para 2020, que apontam para uma queda no número total de turistas internacionais de 58% a 78%, dependendo de quando as restrições às viagens forem suspensas.

Desde meados de maio, a OMT identificou um aumento no número de destinos que anunciam planos para reativar o turismo, como medidas e políticas melhoradas de segurança e higiene desenhadas para atrair viajantes e propiciar a recuperação do setor.

Texto: Madrid / El País. Imagem: Jorge Zapata / EFE.