Assim evolui a curva do coronavírus no Brasil e no resto da América Latina

O Brasil é o país latino-americano que registra mais infecções por coronavírus. A questão agora é ver em que ritmo evolui a curva de confirmados e de mortes

O coronavírus passa por um crescimento exponencial em muitos países. No Brasil, os casos evoluem rapidamente em poucos dias, assim como no Chile, Peru e Colômbia, e questão-chave agora é ver em que ritmo evolui a curva de pessoas contaminadas com a Covid-19 e a curva de mortes: crescerá de forma acelerada ou se deterá?

O gráfico compara o ritmo da epidemia em todos os países da América Latina que registraram pelo menos 20 casos confirmados desde o início de cada surto. A escala pode ser natural ou logarítmica (em que a distância de 1 a 10 é a mesma que de 10 a 100). Mas a segunda captura melhor a natureza de uma epidemia: multiplica-se. Os dados são da Universidade Johns Hopkins (EUA) e os gráficos se atualizam a cada dia (leia mais abaixo sobre a metodologia).

Aqui você pode ver a evolução dos casos do novo coronavírus confirmados em países que registraram pelo menos 20 em um dia:

Na Espanha e na Coreia do Sul, cresceram a uma taxa considerável a princípio. Mas sua evolução depois mostra que o futuro de cada país pode ser diferente: enquanto na Espanha as infecções continuam se acelerando, no país asiático estão desacelerando. Se a curva de um país segue uma linha reta no gráfico logarítmico, sabemos que o número de doentes dobra periodicamente. No caso da Espanha, por exemplo, onde as medidas de confinamento ainda não eram consideradas. Na Coreia, por outro lado, a inclinação é cada vez menor e as infecções diminuem.

É importante entender que estamos falando de casos confirmados. Estamos medindo dois fenômenos ao mesmo tempo: o aumento real dos infectados em cada país e a capacidade de detectá-los por parte das autoridades. No início de um surto é comum ocorrer um pico temporal nos casos confirmados à medida que o ritmo dos testes se acelera.

Surtos em cada país

O Brasil é o país latino-americano que registra mais infecções por coronavírus. Mas o ritmo em que os casos crescem é, no momento, semelhante em vários países: as curvas são uma linha reta em uma escala

NOTA: Leia o restante da matéria clicando no link para o El País AQUI.

Texto: Borja Andrino/Daniele Grasso/Kiko Llaneras/El País.