Confira as medidas dos bancos públicos para minimizar impacto da Covid-19 aos alagoanos

Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) em diálogo com representantes dos bancos públicos em AL. Foto: Ivo Neto

Iniciativas são frutos do diálogo entre a Secretaria da Fazenda e os representantes das instituições financeiras

Os bancos públicos de Alagoas publicaram uma série de medidas para ajudar seus usuários neste momento de crise. As ações são fruto do diálogo entre a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) e as instituições financeiras, que teve por objetivo traçar um planejamento de contenção de danos para a economia alagoana devido ao impacto do novo coronavírus.

A Caixa Econômica Federal, por exemplo, vai reduzir a taxa de juros do Crédito Consignado (a partir de 0,99% a.m.), Penhor (a partir de 1,99% a.m.) e Crédito Direto Caixa (CDC) (a partir de 2,17% a.m.). O gerente geral da instituição, Ary Rocha, diz que é essencial trazer alternativas em um momento tão delicado e difícil, de maneira que gere menos impacto, menos prejuízo e que venha a proporcionar efetividade para o estado.

“Quando as autoridades estão em conjunto com os demais órgãos, com mais setores envolvidos nessa questão de economia e de saúde, a gente sabe que tudo vai transcorrer da melhor maneira possível e entende que isso, além de uma necessidade, mostra o comprometimento do Governo com o povo alagoano”, finaliza.

Confira aqui as medidas adotadas pela Caixa.

O Banco do Brasil, por sua vez, tem como uma de suas medidas ajudar as empresas com dificuldade de curtíssimo prazo trazendo a solução “Pula Parcela”, que permitirá a postergação de 60 dias (duas parcelas), para as linhas de capital de giro. O capital será alocado no final do cronograma e os juros serão diluídos nas parcelas restantes.

Confira aqui as medidas adotadas pelo Banco do Brasil.

Já o Banco do Nordeste prevê a prorrogação de empréstimos e financiamentos, crédito para o capital de giro e a redução no pacote de tarifas para operações de crédito. De acordo com o superintendente estadual em exercício do BNB, Wesley Cordeiro, a reunião com a Fazenda foi fundamental para criar ações sistematizadas.

“Enquanto banco público temos uma grande responsabilidade de minimizar os efeitos dessa crise de saúde e financeira, tanto ofertando novas linhas de crédito para sustentabilidade das empresas, quanto mantendo o atendimento das pessoas e prorrogando as dívidas daqueles que estão em dificuldade. É importante não ter ações isoladas, e juntamente com o Governo a gente pode criar ciclo de ações positivas de modo a minimizar essa situação que estamos passando”.

A Sefaz reforça a importância de antecipar atitudes que resguardem a economia e diminuam os prejuízos que a pandemia da Covid-19 venha a trazer.

Texto: Layla Oliveira/Ag. Alagoas. Foto: Ivo Neto.