Apple pagará até US$ 500 milhões para resolver processo por desacelerar iPhones mais antigos

Foto: Pixabay

San Francisco (CNN Business) A Apple pagará até meio bilhão de dólares para resolver uma ação coletiva, acusando-a de desacelerar os modelos mais antigos do iPhone para obrigar os usuários a comprar novos modelos.

O acordo proposto exige que a Apple (AAPL) pague aos proprietários de determinados modelos de iPhone US $ 25 por dispositivo afetado, totalizando um mínimo de US$ 310 milhões e um máximo de US $ 500 milhões, de acordo com documentos divulgados sexta-feira no Tribunal Distrital dos EUA em San Jose, Califórnia. O valor que cada usuário recebe pode aumentar ou diminuir, dependendo de quantas reclamações forem registradas, bem como de quaisquer taxas e despesas legais adicionais aprovadas pelo tribunal, acrescentou o documento.

O acordo, que está sujeito à aprovação de um juiz em 3 de abril, encerra uma batalha legal que dura mais de dois anos, durante os quais a Apple tentou amenizar uma reação global.

A empresa admitiu em dezembro de 2017 que usava atualizações de software para desacelerar os iPhones mais antigos, logo após clientes irritados e analistas de tecnologia sinalizarem que as atualizações estavam causando um desempenho reduzido. Alguns deles sugeriram que a Apple fizesse isso para forçar os usuários a atualizarem para o modelo mais recente do iPhone, mas a empresa disse que seu objetivo era resolver problemas com baterias de íon-lítio mais antigas, que fariam os telefones desligarem repentinamente para proteger seus componentes.

Mais tarde, a Apple pediu desculpas e ofereceu substituição de bateria a seus clientes por US$ 79, que caiu para US$ 29 em janeiro de 2018. O CEO da empresa, Tim Cook, admitiu um ano depois que a receita para 2018 foi parcialmente afetada por “preços significativamente reduzidos para substituições de bateria do iPhone . “

Os usuários do iPhone nos Estados Unidos podem registrar reivindicações de liquidação se possuírem um dispositivo iPhone 6, 6 Plus, 6S, 6S Plus, 7, 7 Plus ou SE comprado antes de 21 de dezembro de 2017.

A Apple não respondeu imediatamente a um pedido de comentário na segunda-feira.

Texto: CNN Business.

Tradução: Redação do AlagoasHoje.com