Audiência pública discute saneamento e poluição nas praias de Maceió

Dicom/CMM

Diversos órgãos responsáveis participaram da discussão que aconteceu na manhã desta quinta-feira.

Saneamento e poluição nas praias de Maceió foi o tema da audiência pública promovida pela Câmara Municipal de Maceió na manhã desta quinta-feira (03). A discussão foi proposta pelo vereador Cleber Costa (Progressistas) e aprovada pelos demais parlamentares da Casa.

De acordo com a Lei n°11.445/07, o saneamento básico é um conjunto de serviços: ele abrange abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, manejo de resíduos sólidos e drenagem das águas pluviais. Essa lei também estabelece o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab), bem como suas metas e diretrizes. Na época, o governo estabeleceu a meta de universalizar o acesso à água e esgoto até 2033.

Segundo uma pesquisa da Conferência Nacional da indústria (CNI), com dados do Sistema Nacional de Indústria (CNI) e do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) 2019, são quase 99.710.520 brasileiros sem acesso à coleta de esgoto, o que representa 47,6% da população.

O presidente da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), Clécio Falcão, falou sobre o funcionamento do sistema de esgotamento sanitário da capital e dos investimentos que vão ampliar a cobertura da rede coletora e do tratamento dos efluentes.

MAIOR ATRATIVO – “A cobertura de esgotamento sanitário em Maceió chega a 35% atualmente e deve passar para 70% até o final de 2020, quando deverão ser concluídas as obras de dois grandes sistemas: um no Benedito Bentes e outro no Tabuleiro do Martins e outro no Farol e bairros adjacentes. As duas obras, efetuadas pela Casal em parceria com a iniciativa privada, investem aproximadamente R$ 500 milhões em Maceió e é o maior investimento da história da capital em esgotamento sanitário em tão pouco tempo”, declarou.

Danielle Novis, superintendente do Maceió Convention, falou da importância do saneamento tanto o trade de turístico, já que as praias são o maior atrativo para os turistas que chegam à cidade, quanto para a saúde pública da capital alagoana. Disse também que audiências públicas como esta são do interesse do trade, da população e dos os órgãos competentes, objetivando o avanço da cidade de Maceió.

O promotor de justiça e coordenador do núcleo de defesa do meio ambiente do Ministério Público do Estado, Jorge Dória, destacou a necessidade de que as leis sejam cumpridas para que Maceió tenha um quadro menos tenebroso quanto ao saneamento básico e para que ações sejam efetivadas e paradigmas mudados.

O vereador Cleber Costa reforçou o papel fundamental que cada um da população tem na preservação do meio ambiente.

“Cada um de nós tem um papel fundamental na preservação do meio ambiente, podemos escolher ficar de fora e fingir que não é conosco ou podemos arregaçar as mangas e trabalhar em prol da coletividade, cobrando das autoridades resoluções para as principais problemáticas sociais. E uma das mais preocupantes no momento é a questão do saneamento e poluição das praias. Torna-se urgente essa discussão, pois não interfere apenas no turismo, mas na saúde e qualidade de vida das pessoas. A população cresce gerando dejetos, que sem a fiscalização adequada abre caminho para novos esgotos clandestinos”, finalizou. 

Texto: Clara Vieira. Foto:Dicom/CMM